“Agora é Tarde”: Discussão foi pegadinha

https://i1.wp.com/natelinha.uol.com.br/img/pag/315x265/img20120402130003.jpg

Não passou de uma pegadinha a discussão entre dois humoristas do programa “Agora é Tarde”, da Band.

Na última quinta (29), O talk show recebeu Edgar Vivar, o eterno Sr. Barriga do seriado “Chaves”, no quadro “Mesa Vermelha”, que debate as notícias e faz piada de diversos assuntos.

Em determinado momento, O humorista Léo Lins brincou com outro integrante do programa, Marcelo Mansfield. “Queria aproveitar que o Sr. Barriga está aqui… Você trouxe alguma pílula de nanicolina pra encolher a barriga do Mansfield?”, disse Léo, arrancando gargalhadas de todos.

Marcelo Mansfield não gostou da brincadeira. Irritado, ele xingou o colega, que em um primeiro momento acreditou que também fosse uma piada. Mas não foi. Na sequência, Marcelo se levantou e esbravejou: “Me respeita, que eu tenho 26 anos de carreira e você é um bunda mole!”. Assustado, Lins comentou: “É brincadeira Marcelo, é uma piada!”.

Entretanto, neste último domingo, 1º de abril, dia da mentira, um novo vídeo publicado no site do programa mostra que foi tudo previamente combinado.

Em uma reunião nos bastidores, antes da gravação do programa, Danilo Gentili pergunta: “Vocês já combinaram?”. Mansfield e Lins dizem que sim e contam como seria a encenação. O apresentador ainda brincou: “Eu só estou na dúvida, porque eu te conheço, eu sei como você é ator. Será que você consegue fazer isso?”, arrancando gargalhadas dos integrantes.

O vídeo mais uma vez relembra a discussão no ar, ao ponto de Marcelo Mansfield até deixar o palco. Na sequência, uma nova cena de bastidor mostra os humoristas comemorando a pegadinha.

“Parabéns, Léo. Você é um bom ator”, brinca Mansfield. Por fim, Danilo Gentili revela: “É, vocês acreditaram nessa né? Agora é tarde!”.

Assista ao vídeo:

NaTelinha

Anúncios

Fã-clube promove abaixo-assinado para que dubladores da peça “O Show do Chaves” sejam os mesmos do seriado “Chaves”

A peça “O Show do Chaves” (“El Chavo Show”) será apresentada no Brasil. O espetáculo, que fez sucesso na Argentina, faz uma homenagem ao seriado mexicano protagonizado por Roberto Gómez Bolaños.

Entretanto, o que seria motivo de comemoração para os fãs brasileiros de “Chaves”, está sendo alvo de reclamações na internet. Tudo porque o estúdio de dublagem BKS, responsável pelas vozes brasileiras no espetáculo, estaria interessado em contratar novos dubladores.

A decisão foi tomada pela BKS após a empresa ter feito contato com os dubladores originais do seriado veiculado pelo SBT. Com o baixo cachê oferecido aos profissionais, além do fato de que o contrato exigia o trabalho desses por tempo indeterminado, acabou levando os dubladores a não entrarem em acordo com a empresa.

Com o insucesso no início das negociações, a BKS resolveu desistir de contratá-los e chamou outras pessoas para fazerem testes, o que irritou os membros do fã-clube “Chespirito Brasil”. Para tentar reverter a situação, foi lançado um abaixo-assinado virtual, que tem por objetivo pressionar os responsáveis pelo espetáculo a voltarem atrás e abrirem nova negociação com os dubladores originais da série. O link para o abaixo-assinado é http://www.abaixoassinado.org/abaixoassinados/6768

“O Show do Chaves” contará com todos os personagens da clássica série, exceto Chiquinha, que, devido a problemas judiciais, não foi incluída no espetáculo. A peça deverá entrar em cartaz no Brasil no final desse ano.

Procurada pelo NaTelinha, a BKS não retornou até o fechamento desta matéria.

NaTelinha

Filho de Roberto Gómez Bolaños, o “Chaves”, diz que ator não entrou com processo contra “Chiquinha”; atriz desmente

Roberto Gómez Bolaños, o intérprete do personagem mexicano Chaves, não está processando sua ex-colega de elenco, Maria Antonieta de Las Nieves, que deu vida à Chiquinha no programa. A informação foi confirmada pelo filho do ator, Roberto Gómez Fernández, em entrevista ao site Notimex.

Segundo ele, seu pai não tem nenhuma pretensão de voltar a abrir um processo contra a atriz. Desde 1995, Maria Antonieta conquistou os direitos de uso da personagem, e devido ao difícil relacionamento entre ambas as partes, desde então Roberto Bolaños foi proibido de vender a imagem da personagem para a fabricação de brinquedos baseados na série e até mesmo de incluir Chiquinha no desenho animado.

Apesar de negar a disputa dos tribunais, o filho do comediante não esconde a decepção pela perda dos direitos da personagem. “Nós somos os mais afetados com isso porque não podemos fazer uso dessa personagem sem prévia autorização. Na troca de ‘favores’, ninguém nunca cede e acabamos sempre na estaca zero”.

A versão é contestada por Maria Antonieta, que revelou que as brigas na justiça continuam. “Não tenho tempo, nem dinheiro para ficar pagando advogados. Isso afeta meu sistema nervoso, me sinto inquieta. Meu advogado me disse que eles voltaram com o processo e eu não tenho forças para continuar. Não sei até quanto tempo terei direitos sobre a Chiquinha”, teme.

Circula na imprensa mexicana que ambas as partes tentam negociar um acordo em sigilo, para evitar novas desavenças na mídia.

https://i1.wp.com/a1.twimg.com/profile_images/228763076/pequeno_normal.gif

Roberto Gómez Bolaños, intérprete de “Chaves”, está com depressão

https://i2.wp.com/ofuxico.terra.com.br/admin/smarty/templates/img_upload/2008/07/RobertoGomezBolanos-333-grosby-210708.jpg

De acordo com informações do site da rede mexicana Televisa, o interprete do personagem “Chaves”, Roberto Gómez Bolaños, está com depressão.

Bolaños realizou recentemente várias cirurgias para evitar algumas doenças, dentre elas o câncer de próstata. Segundo o canal, ele sofreu algumas sequelas e agora está com dificuldades de andar e falar.

Em entrevista a rede, seu filho, Roberto Goméz Fernandez, revelou que o pai sofre com a depressão, pois não consegue ter mais a agilidade de antes. O interprete de “Chaves” tem 81 anos e é casado com Florinda Meza, atriz que interpretou Dona no Florinda.

Processo contra “Chiquinha”

O ator Roberto Gómez Bolaños, o Chaves, voltou a processar María Antonieta de las Nieves, a Chiquinha, pelos direitos de sua personagem.

“Vou continuar lutando por meu direito. Preciso seguir trabalhando para pagar os advogados no processo”, comentou a intérprete de Chiquinha.

A briga entre os atores começou em 1995 quando Roberto Gómez Bolaños processou María Antonieta por ter registrado a personagem Chiquinha em seu nome. Bolaños se diz criador do seriado “Chaves” e dos personagens que lá ganharam fama mundial.

NaTelinha

Seriado “Chaves” pode ganhar remake na Argentina

De acordo com o site da editora Abril, o seriado mexicano “Chaves” pode ganhar um remake.


Fontes afirmaram que em 2009, atores argentinos fizeram testes para integrar o elenco do novo “Chaves”. O remake ainda é mantido em segredo e não há notícias oficiais sobre ele.

“El Chavo del Ocho”, nome em espanhol do seriado, foi produzido durante muito anos pela rede Televisa. Ainda faz muito sucesso em toda a América Latina, principalmente no Brasil, onde é exibido pelo SBT há mais de 20 anos.

Atualmente, Roberto Gomes Bolaños é um dos principais diretores da Televisa no México e a TV mexicana produz o desenho animado do Chaves.

Intérprete de Kiko, do “Chaves”, desiste de fazer personagem

O ator mexicano Carlos Villagrán, o Kiko do seriado mexicano “Chaves”, anunciou que não vai mais interpretar o personagem. Villagrán contou que tem o total apoio da sua família e agora vai se dedicar totalmente a ela e os amigos.


Divulgação

Recentemente, Carlos Villagrán fazia Kiko em seu circo, que continua recebendo ofertas para ir ao Chile e também a Colômbia, porém ele não aceita.

Segundo informações do site Turma do Chaves, o personagem Kiko surgiu no final do anos 60, quando Carlos Villagrán atuava em uma peça de teatro, onde já se caracterizava com roupa de marinheiro e com bochechas inchadas. O convite para trabalhar junto com Roberto Gomez Bolaños, o Chaves, e todo o elenco da série, veio graças a Rubens Aguirre (Prof. Girafales), que apresentou Carlos para Bolaños, que já o havia visto em cena no teatro.

No final de 1978, Carlos Villagrán decidiu sair do elenco do “Chaves” para estrear um programa solo na Venezuela, que se chamou “Frederico”. Além destes, Carlos ainda fez outros programas com o personagem Kiko: “Niño de papel”, “El Circo de Moisier Cachetón” e “Kiko Botones”.